Post Top Ad

{Resenha} Vida e Morte - Stephenie Meyer

Oi, oi pessoas!
Agora estamos oficialmente de volta com o blog depois de tantos meses, ufa!
Hoje eu vou falar de um livro que esperei muito pelo lançamento no ano passado e que tive a oportunidade de ler no inicio desse ano. Vida e Morte, a versão de 10 anos do nosso famoso Crepúsculo.


Ano: 2015
Editora: Intrínseca
Paginas: 391


Quando Beaufort Swan se muda para a sombria cidade de Forks e conhece a misteriosa e sedutora Edythe Cullen, a sua vida dá uma volta emocionante e aterrorizadora. Com a sua pele de porcelana, olhos dourados, voz hipnotizante e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo irresistível e enigmática.
O que Beau não percebe é que, quanto mais se aproxima dela, mais se coloca a si mesmo, e àqueles que o rodeiam, em risco. E pode ser demasiado tarde para voltar atrás...
Para comemorar o décimo aniversário de Crepúsculo, Stephenie Meyer escreveu Vida e Morte, uma reimaginação ousada e fascinante da icónica história de amor, que irá surpreender e fascinar os leitores. Esta dupla edição especial inclui um prefácio da autora, bem como o romance original.

Vida e Morte nos apresenta basicamente a mesma história de Crepúsculo narrada pela perspectiva de Beau Swan, um garoto de dezessete anos que deixa sua protegida mãe em Phoenix para passar uns tempos com o pai na fria e úmida Forks. Em Forks, ela precisa se acostumar a uma nova escola, clima e pessoas. 
É na escola que ele vê Edythe Cullen pela primeira vez, e a bonita e misteriosa moça vai fazer mais parte da vida dele do que ele imagina. 

Narrado em primeira pessoa, Vida e Morte nos mostra a visão de Beau em situações parecidas com as de que vivemos com Bela em Crepúsculo, mas com algumas distinções e acréscimos em determinadas partes. E assim como em Crepúsculo, a leitura é fluida, simples e talvez mais gostosa. 
Os Personagens possuem personalidades totalmente distintas da Bela e do Edward. Beau diferente Bela, é divertido, espontânea e cativante. Tanto nos pensamentos quanto na interação com outros personagens da trama. E é muito engraçado ler sobre seus dramas adolescentes principalmente por ser um homem. 
Edythe mesmo se parecendo com com Edward também possui suas características próprias, uma delas é o seu lado cômico. E dessa forma, fica mais gostoso acompanhar a história deles, porque eles acabaram se tornando um casal cômico.
Uma coisa muito interessante é que, com exceção de Charlie e da mãe de Beau, todos os outros personagens do livro também tiveram os gêneros trocados. 
Mesmo sendo uma releitura, eu consegui sentir as emoções do livro. Fiquei aflita, emocionada, angustiada e com raiva como da primeira vez há sete anos atrás. O livro tem um lado original, incluindo o final da história, que me desculpe os amantes de sagas longas, eu achei melhor do que em Crepúsculo mesmo com todo sofrimento por causa de alguns personagens. 
Eu gostei muito da leitura. Não espera nem mais, nem menos que isso. Eu só esperava o livro, porque nossa, gente... Como eu esperei esse livro. 
O que eu posso dizer para quem pensa em ler mas tem receio por ser uma releitura é que não é apenas uma releitura. Posso garantir com palavras de uma amante de releituras, que as alterações feitas na história deixaram Vida e Morte uma releitura com surpresas de um Original. 
"Não é justo julgar as pessoas pelos pensamentos que têm. Eles foram feitos para serem particulares. São as ações que contam."
A diagramação do livro é tão simples quanto aos livros da saga original. E por ser Vira Vira, é bem grosso. Eu particularmente iria gostar mais se fosse apenas Vida e Morte, porque mesmo se for um livro tão aguardado como esse foi na minha vida, os Vira Vira nunca conquistarão totalmente meu coração. 
No mais, recomendo o livro tato para os fãs de Crepúsculo, quanto para quem não conhece a história original. Vai que depois de Vida e Morte você não embarca na saga dos Vampiros que Brilham? 

3 comentários:

  1. Oi Bárbara!!
    Você esperou e falou tanto desse livro, que eu precisava saber sua opinião sobre. Kkkkk
    Você sabe que essa história não me agrada muito, mas achei inteligente a troca de gêneros. Só que ainda prefiro passar longe.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Babiii,
    Depois de um ano saiu, oh se saiu!
    Apesar de não ser fã da saga, adorei a resenha <3
    Isso de trocar o gênero do personagem é uma proposta bem interessante.
    Agora volte de vez moça, também estau precisando volar haha
    bjss

    Dudu

    ResponderExcluir
  3. Oi Babs!
    Demorei, mas vim <3
    Depois de tanto escutar você atrás desse livro eu tinha que ler a resenha. Confesso que me surpreendi com o que li, e agora estou balançado a conhecer. Talvez eu dê uma chance no pdf (não agora, claro). Quando a Meyer anunciou, confesso que não vi muita graça não. Queria mesmo era a continuação de A Hospedeira, mas já que saiu, e as resenhas se mostraram tão promissoras, irei ler.

    Abraços
    David
    http://olimpicoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Post Top Ad

Instagram