Post Top Ad

31 julho

{Resenha} Primeiro e Unico

by , in
Shea é uma jornalista de 33 anos que trabalha para a Universidade Wesley. Desde nova ela conviveu com a família Carr e foi lá que conheceu sua melhor amiga Lucy, ela mantém um carinho especial por todos da família, mas sua admiração é maior por Clive Carr, o pai de Lucy e também o lendário treinador do time de futebol Americano Walker. Esporte que ela ama, principalmente por causa dele.
Quando sua mãe morre, o emprego que ela tem e o namorado engraçado que lhe fazia feliz não são suficientes. E depois de receber o incentivo de todos ao seu redor, ela decide seguir um caminho novo. Sentimentos confusos e um mundo novo.

Será que Shea conseguirá realizar seus sonhos sem prejudicar os que estão a sua volta? 

http://www.blogleituravirtual.com/2015/06/resenha-primeiro-e-unico-emily-griffin.html
31 julho

Geek Love: O Manual do Amor nerd

by , in
 Oi, oi pessoas!
Hoje eu trouxe para vocês um pouco sobre um livro muito divertido que conquistou muitas pessoas! Vamos embarcar em um mundo completamente nerd. 

Geek Love: O Manual do Amor nerd – Eric Smith

Editora: Única Editora
Páginas: 208

Ano: 2014
Eric Smith sabe mais do que ninguém que existem prazeres imensos na vida geek. Amigos incríveis, conversas até de madrugada sobre realidades alternativas ou até mesmo o simples prazer de ler aquele lançamento de quadrinhos. No entanto, chega um momento na vida de todo nerd em que o amor bate à porta e daí vem a hora de jogar o xadrez tridimensional que é o mundo dos solteiros. Não se desespere, jovem Padawan! Deixe Smith guiá-lo por esse caminho e descubra que amar é muito mais do que flores e bombons. Afinal, nada é normal na vida do nerd, e o amor não é senão o mais extraordinário dos fenômenos humanos.

Geek Love é um manual para meninos geeks solteiros. O livro dá instruções de como se comportar e conquistar as meninas, para finalmente ter um player 2 ou namorada como você preferir chamar.


FOTO 

Esse é um livro muito engraçado! Cheio de ilustrações e referências de quadrinhos, HQs e jogos. Algumas vezes eu tive que procurar sobre determinado jogo para entender melhor o que ele queria dizer haha. 
Você pode ser geek ou não, namorar ou ser solteiro, mas vale as risadas valem à pena.

FOTO 

O livro que não é de auto-ajuda como eu imaginava (ainda bem \o/), vem com uma mensagem importante de que mesmo que sua vida online seja muito boa e divertida, é importante que você se relacione com outras pessoas.

O autor também critica as novas tecnologias e como as pessoas hoje em dia mesmo juntas não se comunicam do jeito certo. Trocando o convívio por sms, chats e outros meios online.

 FOTO

O autor focou 98% no universo masculino, então as meninas meio que não se encaixam no que ele diz aqui. Fiquei muito brava, porque existem inúmeras mulheres Geeks! Mas tudo bem, vamos relevar. 

 FOTO


No fim da curta leitura eu já amava a proposta do livro, admirava o autor e tinha uma boa lista de jogos e quadrinhos para conferir. 


30 julho

{Resenha} Lobo Mau - Nele Neuhaus

by , in
Oi, oi pessoas!
A resenha de hoje é de um livro que eu recebi da Editora Jangada. Vamos lá?


Editora: Jangada 
Ano: 2015
Páginas: 496
Uma adolescente é encontrada morta no rio Meno, nos arredores de Frankfurt. Sua identidade é um mistério. Aparentemente, ela é a terceira vítima de uma festinha regada a álcool que terminou tragicamente, mas a polícia descobre que a água nos pulmões da garota não é do rio, e que seu cadáver mutilado está ali há dias. Pia Kirchhoff e Oliver von Bodenstein, os detetives do best-seller Branca de Neve Tem que Morrer, agora trabalham para descobrir quem aprisionou, estuprou e brutalizou a jovem. Enquanto isso, mais crimes acontecem: a apresentadora de um programa de TV sensacionalista é espancada, estuprada e trancada no porta-malas de seu próprio carro e uma psiquiatra sofre uma morte terrível. A ligação entre os crimes é uma rede de violência e corrupção que atinge a elite da sociedade e o próprio departamento de Pia. Mas talvez seja tarde demais para ela e Oliver descobrirem quem é o lobo mau. 
Um corpo foi encontrado no rio Meno. Isso seria “apenas” uma fatalidade comum, mas o caso começa a mudar quando ninguém reconhece a vítima, que possui o corpo todo fraturado. O motivo causador dessas fraturas? Tortura e estupro.
Então Pia e Oliver entram para averiguar o caso, mas não conseguem evoluir as pesquisa. E enquanto estudam o caso, outros crimes igualmente violentos vão acontecendo.
A diferente é que ao contrário da primeira vítima que não foi reconhecida e tampouco era conhecida, a vítima da vez é uma apresentadora de TV muito famosa.
Uma psicóloga é a próxima vítima, e relatos de uma criança que foi abusada pelo próprio pai.
E tudo leva os investigadores a acreditarem que os casos possuem uma ligação. Gangues, fugitivos, violência sexual e mental. Aonde eles chegarão? 

O lobo mau vai aparecer e a próxima vítima pode ser você. 

Lobo Mau é o sexto livro da Série Bodesten & Kirchhoff. O segundo lançado pela editora Jangada aqui no Brasil (o primeiro foi Branca de Neve tem que morrer).
Assim como Branca de Neve tem que Morrer é um Thriller, cheio de suspense e sangue. 
Como já conhecemos os dois investigadores, é muito fácil seguir a leitura e pensar por eles. Seguindo a linha de raciocino que eles demonstraram em Branca de Neve tem que morrer. E o mais legal é que eles não perderam a essência. O que me faz acreditar que eles são assim em todos os outros livros da série. 

Narrada por diversos personagens, o livro se transforma em um poço de sentimentos e dramas. Cada história, drama e medo que são mostrados ficaram na minha cabeça e me fizeram pensar e repensar.  Mais uma vez eu sofri junto deles. 

“Depois de cair no fundo do poço, seu lugar era ali, na favela dos fracassados, às margens da metrópole, como um criminoso condenado a pertencer à classe inferior. Ninguém ia parar naquele lugar para passar as férias nem para admirar o horizonte cintilante de Frankfurt, símbolo da riqueza que se transformou em vidro e concreto do outro lado do rio” 

Os personagens são bem desenvolvidos. Alguns mais maduros que outros, mais seguros, mais frios. Mas cada um deles, com suas personalidades deixam suas marcas no final. Foram eles que deixaram claro que o que Nele desejava transmitir nessa leitura além da reflexão final era dor e desprezo pela falta de humanidade de alguns. 

Ela fez que sim. Subiu na cama e ficou pulando nela. Todos haviam admirado seu vestido e foram tão bonzinhos com ela! A porta se abriu e ela soltou um grito assustado ao ver o lobo. Mas depois acabou rindo. Não era um lobo de verdade, era o papai fantasiado! Que bom que só ela e o papai tinham esse segredo. Pena que depois não conseguia se lembrar de nada. Pena mesmo.

Diferentemente de Branca de Neve tem que morrer, Lobo Mau trata sobre o mais profundo ódio e maldade existente em um ser humano. 

O livro é grande, e o número de páginas pode assustar alguns. Mas a vontade de investigar e mergulhar mais fundo com Pia e Oliver mais uma vez é maior do que qualquer coisa. E sem perceber eu já estava no fim da história. 

Tenho muita vontade de ler os outros livros dessa série e espero que a Editora Jangada traga-os também.

Recomendo muito a leitura para os amantes de livros policiais! 


28 julho

{Resenha} Rush Sem Limites - Abbi Glines

by , in
Oi, oi pessoas!
Eu trouxe mais uma resenha de um dos livros da Abbi. Dessa vez é a versão do Rush (meu amor eterno) do primeiro livro da série Sem Limites.


Editora: Arqueiro
Páginas: 192
Ano: 2015
Rush merece sua reputação de bad boy. Com seus carros de luxo e sua mansão de três andares à beira-mar, o filho de um famoso astro do rock tem uma fila de garotas a seus pés. No entanto ele precisa apenas de duas pessoas para ser feliz: seu irmão postiço e melhor amigo Grant e sua meia-irmã Nan.Até que Blaire Wynn chega à cidade em sua velha caminhonete. A beleza angelical da garota do Alabama logo chama a atenção de Rush. Mas, por causa de um segredo de família, ele decide manter distância de Blaire. Mesmo que ela precise de sua ajuda. E mesmo que ela lhe desperte sentimentos desconhecidos.Órfã de mãe e abandonada pelo pai, Blaire está sozinha no mundo – porém Rush entende que se aproximar dela pode destruir a vida da irmã, a quem protegeu desde que eram crianças. A relação secreta entre as duas e o ódio que Nan nutre por Blaire são mais do que bons motivos para Rush manter-se afastado. Só que ele não consegue. O desejo fala mais alto.Depois do sucesso da trilogia Sem Limites, Abbi Glines leva os leitores de volta ao início dessa história de amor. Em Rush sem limites, você entrará na mente do bad boy que já conquistou milhões de fãs mundo afora.

Rush é filho de um astro do rock, mas de longe é uma pessoa mimada que vive nas nuvens. Com uma mãe ausente e uma irmã carente, desde novo é ele quem  cuida de sua Nan.  O pai de Nan vivia com outra família e nela tinha duas filhas gêmeas. Rush sem entender o motivo de alguém não querer ficar com sua irmã, a leva para conhecer seu pai na casa da outra família.
Lá ela percebe que seu pai já possui uma vida e sente  a rejeição que nunca quis acreditar ter. E a tristeza de sua irmã faz com que Rush odeie o homem e sua família.
Esse é um dos motivos de Blaire ter que dormir em baixo da escada como nosso queridíssimo Harry Potter quando vai procurar seu pai na casa de Rush. Ela acabou de perder a mãe e foi abandonada por seu pai há alguns anos quando sua irmã morreu em um acidente de carro que ele dirigia.
Ela não sabe que Nan é sua irmã e Rush não está disposto a contar para ela. Ele não quer que Nan sofra mais do que já sofreu, mas quando percebe que o culpado de toda história é o pai das garotas ele resolve oferecê-la um lugar para ficar.
Tentando ignorar todos os fatores que o aproximam dela, Rush vai levando seus dias. Mas é inevitável, impossível ignorar o que vem sentindo por Blaire. E agora ele se vê em uma emboscada: Apaixonado pela irmã da sua irmã que tanto sofreu por causa do pai delas.
O amor poderia sobreviver a tantas barreiras?

Se eu achava que Paixão sem Limites possuía uma narrativa jovem e empolgante, na visão do Rush tudo ficou melhor.
Narrado em primeira pessoa, o livro vem com a visão do Rush da história e isso faz com que a gente também conheça um pouco mais os outros personagens dela.
Um grande exemplo é Grant, que se antes eu amava, hoje se tornou um dos meus personagens favoritos! Extremamente engraçado e amigo. Admirável a irmandade dos dois, ai, ai. Eu babo neles.
"Você vai deixá-la embaixo da escada igual ao maldito Harry Potter?"

Mas acima de tudo, todas as dúvidas que eu tinha em relação ao relacionamento dele com a irmã foram supridas. Porque lendo Paixão Sem Limites eu enxerguei tudo como uma protetora incansável da Blaire, mas nesse livro eu consigo entender o Rush 100%, mesmo achando a Nan uma doente. Ela é realmente com um caso sério e precisa de ajuda psicológica.

Aqui conseguimos ver tudo que ele fez para evitar se apaixonar pela Blaire, e como ele se tornou tão maduro em pouco tempo. Tentando sempre arrumar as coisas do jeito Rush de ser.
"Vou consertar isso. Juro que vou acertar todas as coisas. Eu amo você o bastante para enfrentarmos tudo. Só preciso que você que você me ame o bastante. Por favor, Blaire. Me ame o bastante."

As cenas que não existem em Paixão sem Limites (ou seja, as que acontecem quando ele não está com Blaire) são muito bem vindas e bem escritas. A história conseguiu fluir naturalmente como se eu estivesse conhecendo a história toda nesse livro.

Vale avisar novamente que o livro é um NA e que a escrita é acompanhada de alguns palavrões que só deixam a história mais engraçada e emocionante. Mas se você não gosta disso, não recomendo.

O final mais uma vez me deixou muito triste, mas eu logo fui para Tentação sem Limites dar uma relida haha.
Esse livro conseguiu me prender e emocionar. Tirou muitas dúvidas e aumentou minha vontade de ler Tentação Sem Limites e Amor Sem Limites na visão do meu playboy favorito. Por favorzinho, Abbi?

“Porque, no fim, alguém me salvou, ainda que eu não merecesse. (...) Mas ela não é apenas uma garota. É um anjo. Meu anjo. Um anjo lindo, forte, corajoso e leal que entrou na minha vida em uma caminhonete, empunhando uma arma.”

Recomendo muito o livro para quem curte um bom NA com uma boa dose de drama, palavrões e acima de tudo, amor.


26 julho

{Textualizando} 2 anos de Toca dos Livros!

by , in
Oi, oi pessoas!
Para quem me acompanha nas outras redes sociais, ou acompanha o blog há um tempinho, sabe que ontem (25/07), o Toca completou seus dois anos de existência!

Parece que foi ontem que eu fui falar com a Marina no facebook sobre um nome que não saia da minha cabeça. O tal do "Toca dos Livros" não existia e mesmo assim eu pensava nele. 
O objetivo inicial do blog, era pegar duas pessoas com gostos literários completamente diferentes e postar sobre diversos livros. Mas isso só foi possível durante uma maratona louca que nomeamos 'Quinzena da Resenha", pois logo depois disso a Marina (minha adorável melhor amiga) saiu do blog. 
Depois de muita chateação e desespero eu consegui com a ajuda de três pessoas magníficas a seguir com o blog e continuar com o meu objetivo. 

O quarteto blogueiro, hoje se tornou o Chavosos. Maior, mais maduro e familiar, hoje o grupo faz parte do nosso dia a dia e é lá onde surgem as melhores ideias e incríveis posts em conjunto. 
Ita, Pedro, Sérgio, David e Sharon são integrantes do Nordeste que inundam o grupo com seus sotaques apertantes e ideias maravilhosas. 
Italo segue isolado na Paraíba com seu hm carinhoso. 
Marcela e Paulo os sumidos de plantão deixam tudo mais puxado com seus erres paulistas. 
Coelho, Carlos e Dudu me acompanham no mineirês e também nos eventos, cinema e encontro de fãs. 
Esse grupo com certeza, nos dá forças para permanecer postando, tendo ideias e motivação. Um puxa o outro e auxilia, e mesmo as ideias mais inversas se casam. 



Meus muitos layouts que eu mesma inventei de fazer, me satisfaziam na primeira semana, mas depois me irritavam profundamente e a minha vontade era de chorar. Hoje, mais de um ano depois, permaneço com o nosso verdinho feito pela Flá do Livros e Chocolate (que atualmente está me ouvindo para que em breve vocês tenham coisas novas por aqui). 


Os autores foram o meu primeiro contato com o mundo das parcerias, que teve continuidade com as editoras e eu agradeço a todos pela oportunidade e também por acreditar no meu trabalho e competência para escrever sobre os livros. 



Meus paizinhos que mesmo com trancos e barrancos me apoiam, opinam e se orgulham do blog. 

Mas com certeza absoluta, o melhor que aconteceu para mim após criar o blog, além das amizades incríveis que eu fiz, foi ter contato com pessoas que independente se concordam ou não comigo resolveram me acompanhar. E hoje, euzinha que aqui escreve, sabe que esse blog não é só meu, mas sim de todas as pessoas que o acompanham, opinam, criticam, ajudam. É um conjunto, uma família. Que completou dois anos! 

Muito obrigada por estarem aqui comigo! Que ano que vem eu volte com mais um textualizando de aniversário, e que até lá muitas novidades apareçam para nós (algumas já estão em andamento). 

Eram dezesseis anos, hoje são dezoito. Acompanhados de  trinta e poucos livros, que se multiplicaram. 
"Toca de Livros", "Toca dos Livros", "Toca Literária".


23 julho

{Resenha} Fragmentados - Neal Shusterman

by , in
Oi, oi pessoas!
Hoje eu vim falar de um livro que entrou pra lista dos melhores lidos do ano. Vamos com um pouco de distopia?



Editora: Novo Conceito

Ano: 2015

Páginas: 368

A Segunda Guerra Civil, também conhecida como "Guerra Hearland", foi um conflito longo e sangrento motivado por uma única questão.Para acabar com a guerra, uma série de emendas constitucionais conhecidas como "A Lei da Vida" foi criada.Ela satisfez tanto o exército Pró-Vida como o Pró-Escolha.A Lei da Vida declara que a vida humana não pode ser tocada desde o momento da concepção até que a criança chegue à idade de 13 anos.No entendo, entre os 13 e os 18 anos, a mãe ou o pai pode escolher "abortar" retroativamente uma criança...... com a condição de que a vida da criança não tenha, "tecnicamente", um fim. O processo pelo qual uma criança é ao mesmo tempo eliminada e mantida viva é chamado de "fragmentação".Agora, a fragmentação é uma prática comum e aceita pela sociedade.
A história acontece após uma guerra que ocorreu por causa do aborto. No fim dela ficou decidido que a vida do ser humano deveria ser preservada até que ele completasse 13 anos de idade, e entre os 13 e os 18 anos, os pais poderiam decidir se eles continuariam vivendo normalmente ou seriam fragmentados. 
A fragmentação consiste em separar as partes do corpo de um indivíduo e utilizá-las em outras pessoas. Com isso, a medicina quase não existe mais, apenas cirurgiões que trocam as partes do corpo que dão problemas por outras novas. 
Connor é um adolescente problemático de 16 anos, e isso na época em que vive é motivo mais que suficiente para ir para a Fragmentação. Cansados de tantas reclamações vindas da escola, seus pais decidem que ele irá para a Fragmentação. E para evitar ser capturado pela Policia Juvenil, ele foge de casa rumo ao desconhecido. 
Risa tem 15 anos e vive em uma Casa Estatal (local para onde vão crianças abandonadas), tenta se destacar na música tocando piano. Ela precisa se destacar, porque só assim continuará recebendo tratamento do estado. Mas após uma conversa com o diretor ela já sabia que seu destino estava traçado. Seria fragmentada e não conseguia pensar no que fazer. 
Porém o ônibus que esta levando-a para o campo de colheira sofre um acidente e ela vê ali a sua oportunidade para fugir e tentar sobreviver até completar 18 anos longe dos olhos da Policia. 
Lev é um dízimo e sabe disso desde que nasceu. Vindo de uma família religiosa que oferece 10% de tudo que consegue para Deus, ele sabe que sendo o 10° filho seria um dízimo fragmentado com apenas 13 anos. Mas ele não se importa com isso, tem orgulho e se sente honrado por ser tão importante. 
Mas em seu caminho para o campo de colheita, um acidente para a rodovia. Um maluco coloca o braço dentro do carro, Lev o morde. É arrancado de dentro do carro por um desconhecido, definitivamente não era um bom momento para ser raptado.  

Mesmo sem saber para onde ir e o que fazer, os três sabem que precisam lutar pela vida. Se conseguirem sobreviver até os 18 anos sem serem pegos, estarão livres e poderão viver normalmente. Mas se forem pegos a fragmentação acontecerá e mais rápido do que antes, porque agora eles não são apenas fragmentados, são fugitivos federais e nem todo cuidado do mundo é suficiente. 
Narrado em terceira pessoa, Fragmentados vem com uma distopia diferente do que estamos acostumados. Aqui, a crueldade e frieza não fazem parte apenas do governo, mas também das pessoas e seus atos.
O sistema não é questionado, ao contrário, é usado e satisfaz muitas pessoas. Elas são usadas como objetos. Facilmente descartáveis, moldáveis. 
Você está com asma? Não existe mais bombinha, seu dinheiro deve comprar um novo pulmão e então ele será transplantado e você voltará a viver normalmente como deve ser. 
A forma como a autora conseguiu apresentar a história dos personagens é fascinante. Conhecer a história e os medos de cada um e a trajetória que eles fazem durante o livro, te aproximam de uns e afastam de outros. 
Connor e Risa são maiores e já sabem que querem fugir e viver, mas Lev que foi criado para ser fragmentado, passa por algumas coisas que fazem com que ele acorde. Ele não precisa ser um dízimo, ele não precisa entregar sua vida. 
Além dos personagens principais, também temos a oportunidade de conhecer vários outros que estão ali não só para preencher espaços vazios, mas para apresentar suas histórias e mostrar que muitas vezes os motivos que levam as crianças para a fragmentação são no mínimo fúteis. 
Dividido em sete partes, o livro passa por todos os assuntos que devem ser apresentados ao leitor. A cada parte é como se uma peça do quebra cabeça fosse encontrada e a história fizesse mais sentido. 
Esse é um livro que me tocou muito. Me fez refletir e analisar a história de uma maneira diferente do que sou acostumada. É triste, triste pensar que a humanidade poderia chegar a esse ponto. 
Book Trailer Oficial 
O final é incrível, tocante, marcante. E o mais fantástico de tudo é que o livro não precisa de continuação. A história acabou, conseguimos chegar ao fim dela em apenas 368 páginas. 
Eu recomendo muito esse livro! Com certeza vai estar na lista dos melhores do ano. Já falei  falo de novo: Vale muito a pena essa leitura, reflexão e tapa na cara. É fantástico. 













18 julho

{Sobre Séries} How to get away with murder

by , in
Oi, oi pessoas!
O Sobre Séries de hoje foi feito pela Vivis (@) que vai começar a me ajudar aqui no blog. Então vamos lá! 

How To Get Away With Murder.png

  • Formato: Série
  • Gênero: Drama / Mistério        Duração: 43 minutos  Estado: Renovada para 2ª temporada   Criador(es): Peter Nowalk                País de origem:  Estados Unidos  Idioma: Inglês         Emissoras: Estados Unidos: ABC    |      Portugal: AXN                                                                            Brasil: Canal Sony

  A série trata da vida profissional e pessoal de Annalise Keating, uma professora de Direito Penal, cuja aula tem o nome ‘how to get away with murder’ ou, traduzido livremente “como sair impune de um assassinato”. 
  Acompanhamos os casos em que ela atua, com seus dois ajudantes e seus 4 melhores alunos, os quais estagiam em seu escritório. Ao mesmo tempo que acompanhamos as resoluções desses casos, temos insides de futuros problemas que eles enfrentarão, que pode afetar a vida de todos drasticamente, o que acrescenta bastante suspense na série em geral. 
  A série me cativou muito, por trazer a rotina do ambiente jurídico, e a divergência da vida pessoal de quem faz parte desse meio. Annalise deixa claro em suas aulas e em suas audiências que mais importante que conhecer a lei, é saber encontrar brechas nela. Como ela mesma disse “Não importa quem está certo, o que é justo ou não. A verdade que importa é a mais convincente.” Além disso, é um ambiente de constante agitação e um caso novo sempre traz dramas novos, preocupações novas e, principalmente, lições novas.
  No início, fica um pouco confuso para conhecermos os personagens, a rotina e fazermos um paralelo com os insides. Mas é impossível saber o momento certo que você deixa de ficar confuso, e passa a ficar viciado. O ritmo da série permanece constante, cheio de descobertas e reviravoltas, e no final da temporada a adrenalina sobe inacreditavelmente.  

  Os personagens também são muito bons. Além do quarteto de ouro -  que traz ao mesmo tempo personalidades diferentes em uns aspectos e iguais em outros -, temos Bonnie e Frank, que trabalham para Annalise e se mostram leais e dedicados todo o tempo. Os dramas pessoais e do grupo como um todo trazem várias perspectivas sobre a vida deles, e sobre o caso que estão defendendo, e as personalidades e histórias de vidas diferentes contribuem bastante.
  Eu, particularmente adorei ver a rotina dos alunos – que é absurda, por sinal – e como eles fazem de tudo pra conseguirem seu lugar na sua profissão. Meus personagens favoritos são Laurel e Connor, com uma eu me identifiquei, já com o Connor, bem, eu adoraria passar um dia sendo ele.

  A série traz vários aspectos interessantes: ambiente jurídico, suspense, drama e até mesmo certo humor. Pelo menos um de seus gostos se encaixará aqui, e eu super recomendo. Assisti em menos de uma semana a temporada, o final é chocante e já não vejo a hora de a segunda ser lançada!
                                 

13 julho

{Especial dia do Rock} Top 5 livros sobre Rock

by , in
Oi, oi pessoas!
   Hoje é o dia do rock, bebê!   E eu trouxe para vocês cinco livros incríveis para os amantes do rock Yeeeeeeeah!

"Livro - Rock And Roll - Uma História Social"

Esse é um livro de quase quinhentas páginas, mas que tem uma escrita muito simples e gostosa. Ele narra os acontecimentos do rock  nas suas décadas iniciais. É incrível e cativante, aulas maravilhosas da história do rock.






“The Doors - The Doors E Ben Fong-torres”
É a biografia da minha bandinha amada. O livro é repleto de comentários de jornalistas e depoimentos. E a mistura disso  mostra como a banda estourou nos anos 60. É um livro lindo que faz quem já gosta da banda se apaixonar mais, e quem ainda não a conhece, conhecer de maneira profunda os sentimentos que ela causou nas pessoas (e causa ainda).



“O livro dos mortos do Rock”

Nesse livro temos a comparação profunda das vidas e mortes de sete dos grandes ícones do Rock.: Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morisson, Elvis Presley, John Lennon, Kurt Cobain e Jerry Garcia. Nesse livro o autor revela fatos e acontecimentos inéditos e analisa a semelhança de vida dos cantores. O livro, acima de tudo, revela a humanidade dessas lendas. E nos mostra, que eram gente como a gente. Uma jornalista em uma viagem para rastrear a imortalidade por trás dos jovens mortais.




“O melhor de Legião Urbana”
Não podia faltar o nacional aqui né, gente? Dos muitos nacionais que eu ouço, poucos eu já li algo sobre. Então eu trouxe esse livro da Legião Urbana que eu sou apaixonada. Em pouco mais de 100 páginas, o jornalista Silvio Essinger narra um pouco do sucesso da banda na década de 80,  a morte prematura do Renato e também como a banda ficou imortalizada pelo fãs mesmo depois de tantos anos. E ainda contém alguns sucessos que muita gente (inclusive euzinha) escuta e canta até hoje.




“The Beatles – A Biografia”
Quem me acompanha sabe que eu sou apaixonada por Bealtes. Minha banda da vida e eu não poderia deixar de falar deles nesse post. Os Beatles possuem muitas biografias, livros, antologias e tudo mais que as editoras e empresas puderem criar para arrancar os rins dos fãs. Esse livro reúne entrevistas e documentos que nunca foram revelados, formando uma biografia fantástica. A trajetória deles está completa nesse livro que possui quase 1000 páginas. Um já foi agora só faltam uns 15 milhões haha. 

Bom, esses são os livros que eu trouxe hoje. As imagens não estão com muita qualidade, porque é difícil encontrá-las haha. O rock faz parte da minha base familiar e eu cresci ouvindo meus irmãos cantando e ouvindo e hoje também sou apaixonada. E vocês? Gostam do estilo?
Beijos!
11 julho

{Promoção} Férias Literárias!

by , in
Oi, oi pessoas!
Julho é o mês do que? Das férias \o/. 
E também do aniversário do blog, então em breve tem novidades haha.
Mas hoje, eu trouxe uma promoção para vocês!

10 julho

Três motivos para não encontrar Margo

by , in
Oi, oi pessoas!
Hoje eu vim falar da minha decepção com o filme do momento.  
   Cidades de Papel é a adaptação de mais um livro do nosso queridíssimo João Verde. Um dos melhores livros dele na opinião dos fãs, batendo de frente com Quem é você Alasca. 
Eu li o livro exclusivamente para assistir o filme. Confesso. 
   Mas após conhecer a história e a alguns personagens,  me apaixonei. Desde dos Noeis negros ao Navio. Dos ninjas que tiram sobrancelhas a uma paixão que move céus (ou será carros?) 
   Depois de quase morar na fila do cinema (porque eu resolvi ir comprar justamente em um dia de promoção), e quase infartar de stress esperando o Plinio na entrada do cinema. Eu finalmente entrei para a sala com muitas expectativas. Expectativas essas que não foram supridas. 

Confuso, fraco e vazio. Essas são as definições que eu tenho para esse filme. 

  • Confuso para quem não leu o livro. O filme apresenta a história de maneira vaga e simples. Tudo acontece muito monotonamente e no final você fica tipo "Ok, isso tudo serviu para que?" A impressão que eu tive foi que o filme de quase duas horas, aconteceu em 30 minutos. 
  • Fraco como adaptação. Fugindo do livro, o diretor colocou a participação de personagens que não existiam nas cenas, o que resultou em  em outras cenas inexistentes. Isso pode possivelmente ter tirado partes do livro que eram importantes no filme, mas nem é só isso. O filme não te prende, ele não tem um conteúdo que chame a atenção.
  • Vazio porque o livro é carregado de sentimentos e reflexões. Deixa o leitor extasiado e conturbado após o fim da leitura. De uma maneira positiva (isso é possível?)  e o filme não conseguiu passar isso. O filme na verdade não conseguiu passar nada. 

Ri em algumas partes, gritei com alguns personagens, mas no fim não valeu a espera, a fila que enfrentei e o desespero com o atraso do Plínio. Esperei demais e recebi pouco. 

"Faça cada momento valer a pena." 

Post Top Ad

Instagram