Post Top Ad

{Resenha #8} Marley & Eu - Vida e Amor ao Lado do Pior Cão do Mundo - John Grogan

Editora: Ediouro 
Ano de publicação: 2006
Páginas: 304 
Nota: 5/5
John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos.
Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranquilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.

Jonh e Jenny acabaram de se casar e estão decidindo se devem ou não ter um bebê, mas como não sabem se conseguirão cuidar de um outro integrante na família, Jonh resolve dar a Jenny um cachorrinho (lindo *-* amo cachorros).

Marley é um filhote de labrador agitado e muito brincalhão que já nos primeiros dias mostra do que é capaz.
Os meses vão passando, Marley vai crescendo, vai aprontando sempre mais e mais. (Aprontando MUITO mesmo) E uma característica engraçada dele é que mesmo sendo tão grande e bagunceiro, Marley morre de medo de trovão.

A família vai crescendo, tem problemas, alegrias como toda família normal e Marley ainda continua ali, recebendo amor e carinho agora não de duas mas sim de cinco pessoas.

 E o livro vai narrando, cada episódio da vida desse cão que emocionou tudo e a todos.

Eu amei esse livro, eu não tenho palavras para descrever o quanto eu amei esse livro. Eu amo animais, eu amo tudo relacionado a animais e eu amei e me emocionei muito com esse livro.

Tem uma história incrível, uma escrita super agradável e por diversas você se vê ali vivendo aquilo com seu próprio animal.

Marley e Eu realmente é um livro para nos fazer pensar, porque quantas vezes na vida você vai ter que perder para aprender a dar valor?

"Na solidão da escuridão, quase consegui sentir a finitude da vida e sua preciosidade. Não damos valor, mas ela é frágil, precária, incerta, capaz de terminar a qualquer momento, sem aviso. Lembrei-me do que poderia ser óbvio, mas nem sempre é: que cada dia, cada hora e cada minuto merecem ser apreciados."  pág. 271

3 comentários:

  1. Nossa, até eu que não gosto de cachorro chorei nesse livro! É muito lindo, rsrsrs...
    Abraços!

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é ótimo, me emocionei bastante com ele ! Também graças a ele, decidi pegar um labrador, so que ai veio dois (um de brinde)

    aé vindo aqui divulgar a promo la do blog

    http://onerdmarombeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu sou a unica que não chorou com esse livro?
    É lindo mas eu não chorei

    ResponderExcluir

Post Top Ad

Instagram